Tesouro Direto: como funciona?

Fala galera, tudo tranquilo? O primeiro post tinha como objetivo desconstruir a ideia de que a poupança é o único investimento e que não existem outras opções para um investidor iniciante.

Bom,o post de hoje continua na ideia de como começar a investir seu dinheiro fora da poupança e vamos ver um approach totalmente voltado para o Tesouro Direto (TD). O Tesouro Direto, é a plataforma que fornece aos investidores comuns (você e eu, por exemplo) acesso aos títulos emitidos pelo nosso Governo Federal.

A tabela a seguir contém todos os títulos que são atualmente negociados pelo governo e foi retirada diretamente do site do Tesouro Direto:

Olhando assim de primeira, parece uma confusão enorme e que não deve ser nada fácil de entender. Não, não é difícil de entender, mas é preciso avaliar com alguns critérios importantes. Por isso, acho que a maneira mais simples de começar é explicar as colunas da tabela e, depois, construir o conhecimento de fora para dentro, ou seja, ir separando os títulos em grupos por semelhança até sermos capazes de entendê-los todos.

A primeira coluna refere-se ao nome do título. Desde 2015, novos nomes foram adotados de forma a ficar mais fácil para os investidores e ficou realmente muito melhor.

A segunda coluna é a data de vencimento. Quando compramos qualquer um dos títulos, estamos, na verdade, emprestando dinheiro ao governo e a data de vencimento é o dia que o governo deve te devolver o que você emprestou + os juros combinados. Ok, mas eu tinha lido que os títulos possuem liquidez diária e agora você tá dizendo que só vou receber no vencimento? (Liquidez diária significa que você pode pegar o seu dinheiro de volta com o governo no dia que quiser). Vamos por partes, os títulos do TD possuem sim liquidez diária, então seu dinheiro nunca vai ficar ¨preso¨ com o governo. Quando pegamos o dinheiro fora do prazo, estamos executando uma venda antecipada e, por isso, o rendimento anual pode ser diferente daquele calculado pra venda no vencimento. Devemos ter um cuidado especial com venda antecipada para de títulos muito longos (IPCA+ 2050, por exemplo), pois a rentabilidade pode ser muito maior que a esperada ou muito menor. O próximo post de renda fixa será sobre essa venda antecipada e tenho certeza que vai ser muito esclarecedor!

A coluna com taxa de compra é referentes aos juros que o governo vai te pagar por ter emprestado esse dinheiro e é um pouco diferente para cada modalidade do TD. A coluna de venda é importante apenas quando vamos efetuar a venda antecipada e é assunto pro próximo post.

Por último, temos os preços de compra/venda que são os valores para um título inteiro. Mas quantidades fracionárias dos títulos podem ser negociados, por exemplo 10% ou 30%.

Agora, podemos ir direto para os tipos diferentes do tesouro. Eles podem ser classificados em dois tipos: pré-fixado ou pós-fixado. Nos títulos pré-fixados, o valor que vai ser recebido no vencimento já é conhecido no momento da compra. Por outro lado, os títulos pós-fixados são corrigidos por um indexador, que são a taxa básica de juros (Selic) ou a inflação (medida pelo IPCA) e, por isso, a rentabilidade exata não é conhecida com exatidão no momento da compra.

Dentro dos títulos pré-fixados temos:

1 – Tesouro Prefixado

Nesta modalidade, o valor investido (valor de compra) é recebido juntamente com os juros calculados a partir da taxa compra. A valor final é calculado na forma de juros compostos. Acalculadora do Tesouro Nacionalé muito prática e com ela somos capazes de descobrir a rentabilidade anual e quanto vamos receber no vencimento após o pagamento dos impostos e taxas.

2 – Tesouro Prefixado com Juros Semestrais

Esse tipo é bem semelhante ao anterior, a diferença é que existe também um pagamento semestral de juros. A calculadora do Tesouro Nacional também é capaz de calcular todos os pagamentos que receberemos, bastando selecionar a opção ¨Tesouro Prefixado com Juros Semestrais¨ e preencher com os dados disponíveis na tabela.

Dentro dos títulos pós-fixados temos:

1 – Tesouro Selic

Nessa modalidade, a rentabilidade é totalmente atrelada à taxa Selic, ou seja, a rentabilidade é igual à taxa Selic do período + taxa de compra (disponível na Tabela). Como a taxa Selic pode ser alterada pelo Governo, a rentabilidade não pode ser totalmente determinada no momento da compra, apenas estimada. O uso da calculadora para essa modalidade também é bem simples e de extrema utilidade.

2 – Tesouro IPCA+

Esse tipo de tesouro tem sua rentabilidade baseada no índice IPCA, acrescida de uma taxa prefixada que é determinada no momento da compra. Apesar da parcela prefixada, a rentabilidade não pode ser totalmente determinada devido à variação do IPCA que é baseado na inflação. É importante ressaltar que esse tipo de tesouro sempre irá render acima da inflação devido à sua rentabilidade associada ao IPCA + taxa prefixada.

3 – Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais

Este último tipo é semelhante ao Tesouro IPCA+, mas ocorre também o pagamento semestral de cupons de Juros de forma a existir um fluxo de pagamentos todo semestre.

No próximo post de renda fixa, vou mostrar como usar a calculadora de forma mais detalhada e dar alguns exemplos de venda antecipada. Para informações ainda mais específicas sobre cada tipo do TD temos o material da Semana da Renda Fixa, basta correr lá na xerox do DAEQ – CT UFRJ ou mandar uma mensagem para a gente por uma das nossas redes sociais ou escrever um email: ligadeinvestimentoseq@gmail.com.

Abraços.

Deixe um comentário