O aumento do número de jovens investidores na bolsa

O aumento do número de jovens investidores na bolsa

Atualizado: 5 de Nov de 2020

O número de investidores na [B]3, bolsa de valores brasileira, atingiu a marca de 3.065.775 em setembro de 2020, sendo que 98,99% desse montante são pessoas físicas. Nesse sentido, ao se analisar o histórico de perfil dos investidores pessoas físicas da [B]3, a quantidade de investidores que acessam essa modalidade de investimentos quintuplicou desde 2015 e tende a continuar crescendo nos próximos anos. Em detalhe, dois perfis de faixa etária merecem atenção quando esses números são observados: 19 a 24 anos e 25 a 39 anos. De janeiro de 2017 até março de 2020, o número de pessoas entre 19 e 24 anos operando na bolsa passou de 1% para 10%, enquanto que o número de pessoas da faixa etária seguinte saiu de 28% para 49% (Figura 1). Além disso, nota-se que a participação de pessoas com mais de 60 anos caiu pela metade, fortalecendo a dinâmica do aumento do número de jovens e adultos investidores na bolsa de valores.

Figura 1 – Evolução pessoas físicas na [B]3, por faixa etária, em milhões de investidores.

Fonte: http://www.bmf.com.br/portal/pages/newsletter/BMFBOVESPA/Downloads/Estudo_PF-final.pdf. Acesso em 31 out. 2020.

Para que essa inversão acontecesse, alguns fatores foram determinantes. Segundo Felipe Paiva, diretor de relacionamento com clientes da [B]3, a reforma da previdência, a queda drástica da bolsa de valores e, principalmente, o aumento de informações de qualidade na internet, aliada à abordagem mais agressiva de corretoras sobre pequenos investidores, são os pontos-chave que ajudam a explicar essa evolução.

É fato que a aprovação da Nova Previdência desestabilizou os planos de aposentadoria de muitos cidadãos, uma vez que impôs diretrizes mais rígidas e uma maior contrapartida dos futuros aposentados. Dessa forma, pessoas mais novas começaram a olhar para outras possibilidades complementares, por exemplo, investimentos em renda fixa e em ativos listados na bolsa de valores. Porém, o atual cenário econômico vai de encontro a investimentos em renda fixa, visto que o Banco Central vem reduzindo a taxa básica de juros da economia brasileira (Selic), fazendo com que esses títulos, principalmente aqueles atrelados à Taxa Selic, não sejam tão atraente, tendo em vista o baixo rendimento.

Ademais, outro ponto que favoreceu uma recente adesão massiva à bolsa de valores foi o advento do novo Corona vírus do ponto de vista das oportunidades de compra. Entre fevereiro e junho, esse incremento foi de 35,7% (considerando pessoas físicas e jurídicas). Os impactos econômicos causados pela pandemia fizeram com que as bolsas mundiais despencassem, inclusive a brasileira. Isso pode ser observado na Figura 2, que mostra o comportamento do Índice Bovespa (Ibovespa) desde janeiro de 2020. Segundo a Agência Brasil, no primeiro trimestre deste ano, a queda da bolsa foi de 30%, indicando o pior trimestre da história. Especificamente no dia 23 de março, o Ibovespa chegou ao patamar de 63.570 pontos. Consequentemente, um grande número de empresas tornaram-se acessíveis por conta da queda do preço da ação.

Figura 2 – Ibovespa de 01 jan. 2020 a 30 out. 2020.

Fonte: https://www.infomoney.com.br/cotacoes/ibovespa/grafico/. Acesso em 31 out. 2020.

Nesse sentido, quando o número de pessoas que entraram na bolsa com uma carteira com até 10 mil reais é analisado, em dezembro de 2011, esse grupo correspondia a 44% dos investidores. Por outro lado, em março de 2020, essa porcentagem correspondia a 54% (Figura 3). Ademais, ressalta-se que a carteira com até 10 mil reais é a majoritária. Esse crescimento foi impulsionado, justamente, pela abordagem mais agressiva de corretoras, que buscaram atingir os pequenos investidores com o objetivo de investir em renda variável. Uma das estratégias mais utilizadas foi zerar a taxa de corretagem. Nos dias de hoje, é possível, com aproximadamente R$ 20,00 ao mês, assinar pacotes com corretoras que te auxiliam na hora de investir e tornam essa ação mais facilitada.

Figura 3 – Número de investidores na [B]3 com carteiras com até R$ 10 mi.

Fonte: http://www.bmf.com.br/portal/pages/newsletter/BMFBOVESPA/Downloads/Estudo_PF-final.pdf. Acesso em 31 out. 2020.

Além disso, existem muitos conteúdos de graça na internet, principalmente em plataformas como o Youtube e blogs, que esclarecem diversas dúvidas básica que surgem nesse processo de investimento. Isso reforça a tese de como o avanço da democratização do acesso à informações relacionadas a investimentos auxiliam no rejuvenescimento dos investidores. Nesse sentido, o papel das ligas de mercado financeiro também desempenham um papel fundamental ao expor, de forma acessível, conteúdo relacionado a investimentos em bolsa de valores, por exemplo.

É urgente que, quanto antes as pessoas estiverem esclarecidas e com conhecimento em mãos, mais cedo possam aderir a investimentos menos conservadores de forma inteligente. Além disso, aplicar o conhecimento para acompanhar as novas dinâmicas de mercado é um movimento importante para maximizar os ganhos desde cedo. A união desses fatores estimulantes indicam que, pelo menos a curto e médio prazo, o número de investidores de 19 a 39 anos tendem a continuar crescendo na bolsa de valores brasileira.

Escrito por: Caio Rodrigues Botelho

Revisado por: Rodrigo Monroe e Gabriela Lemos

REFERÊNCIAS

AGÊNCIA BRASIL. Bolsa cai 30%, e dólar sobe 16% em março com pandemia de coronavírus. Disponível em: <https://agenciabrasil.ebc.com.br/economia/noticia/2020-03/bolsa-cai-30-e-dolar-sobe-16-em-marco-com-pandemia-de-coronavirus>. Acesso em: 31 out. 2020.

B3. UMA ANÁLISE DA EVOLUÇÃO DOS INVESTIDORES PESSOAS FÍSICAS NA B3, abr. 2020a. . Acesso em: 31 out. 2020

___. Histórico de perfil dos investidores pessoas físicas de Setembro de 2020. Disponível em: <http://www.b3.com.br/pt_br/market-data-e-indices/servicos-de-dados/market-data/consultas/mercado-a-vista/historico-pessoas-fisicas/>. Acesso em: 31 out. 2020b.

CORSINI, C. Pandemia leva mais investidores para a Bolsa. Disponível em: <https://jovempan.com.br/noticias/economia/novos-investidores-da-bolsa-precisam-tomar-cuidado-com-empolgacao-e-diversificar-a-carteira.html>. Acesso em: 2 nov. 2020.

G1. Reforma da Previdência: entenda a proposta aprovada, ponto a ponto. Disponível em: <https://g1.globo.com/economia/noticia/2019/10/22/reforma-da-previdencia-entenda-ponto-a-ponto-a-proposta-aprovada-em-2o-turno-no-senado.ghtml>. Acesso em: 31 out. 2020.

INFOMONEY. Ibovespa (IBOV). Disponível em: <https://www.infomoney.com.br/ultimas-noticias/>. Acesso em: 31 out. 2020.

PRADO, M. Renovação: quem são os novos investidores da bolsa de valores brasileira. Disponível em: <https://www.cnnbrasil.com.br/business/2020/04/17/renovacao-quem-sao-os-novos-investidores-da-bolsa-de-valores-brasileira>. Acesso em: 31 out. 2020.

UOL ECONOMIA. Bolsa cai mais de 12% após parada temporária; dólar sobe, perto de R$ 4,74. Disponível em: <https://economia.uol.com.br/cotacoes/noticias/redacao/2020/03/09/dolar-bolsa-operacao.htm>. Acesso em: 31 out. 2020.

Deixe um comentário