A corretora vai roubar meu dinheiro?!

Você já deve ter ouvido falar que investir em banco é furada, que o gerente só te vende o produto que interessa a ele, que o interesse deles é pegar nosso dinheiro a juros baixos e emprestar para alguém a juros altos. OK, tudo isso pode ser verdade, mas acho que algumas pessoas as vezes falam isso pra demonstrar certo conhecimento em finanças e investimentos e acabam não te dando as alternativas ao banco. Ou então, pior ainda, te falam que tem conta na corretora tal e que investem assim e assado, mas não te ajudam a ir além.

É exatamente por causa disso que estou escrevendo aqui hoje. Pra te mostrar como abrir conta em uma corretora e começar a movimentar seu dinheiro fora do banco, para obter assim maior rendimento.

Uma vez li em um relatório que “se quero pegar dinheiro emprestado vou ao banco, se quero investir vou pra corretora” e é assim que funciona em muitos países. As pessoas não investem nos grandes bancos, pois sabem que fora dali é possível obter retornos maiores. Detalhe, não lembro onde eu li isso, portanto se por alguma chance o autor estiver lendo isso pode me cobrar que coloco os créditos da frase aí.

A primeira coisa que eu gostaria de te dizer é: fique tranquilo, colocar dinheiro na corretora não é arriscado. Citando Warren Buffet, um dos meus ídolos quando o assunto é investimento: “O risco vem de não saber o que você está fazendo.”

Assim como os bancos são regulamentados e fiscalizados pelo Banco Central, as corretoras e distribuidoras de valores são regulamentadas e fiscalizadas pela CVM (Comissão de Valores Mobiliários), que tem como função exatamente fazer com que nós, investidores, tenhamos um ambiente saudável, transparente e livre de fraudes para fazer render o nosso rico dinheirinho. Dessa forma não é arriscado abrir a conta na corretora e nem colocar seu dinheiro lá, pode ficar tranquilo que ninguém vai te roubar e nem sumir com sua grana, a não ser que você mesmo perca ela (comprando ações a revelia por exemplo).

Só pra te deixar mais tranquilo vou te dar mais uma informação sobre a segurança das corretoras pra aí então partir pra parte séria. A corretora só aceita depósitos de contas que tenham a mesma titularidade e também só faz retiradas pra contas de mesma titularidade, cadastradas previamente. Isso significa que mesmo que alguém acesse sua conta na corretora, só vai conseguir tirar o dinheiro de lá e mandar para uma conta corrente que também é sua. (Ou em casos extremos comprar um monte de ações de uma empresa ruim haha).

Brincadeiras a parte, vamos lá. O processo de abertura de conta na corretora é bem similar ao processo de abertura de conta em banco. Portanto para abrir uma conta sozinho é necessário ser maior de idade e ter os seguintes documentos:

  • Cópia de documento de identificação com foto (RG, CNH, CREA, OAB, etc.)
  • CPF
  • Comprovante de residência

Até aqui tudo padrão. Junto com os documentos, também é necessário preencher um formulário com suas informações profissionais e pessoais. Nesse formulário você vai responder perguntas sobre o local em que trabalha, o seu rendimento mensal, as aplicações que você já tem e quanto tem alocado em cada uma delas e a pergunta mais importante, se você é uma pessoa politicamente exposta. A definição de pessoa politicamente exposta é vista abaixo:

“… consideram-se pessoas politicamente expostas os agentes públicos que desempenham ou tenham desempenhado, nos cinco anos anteriores, no Brasil ou em países, territórios e dependências estrangeiros, cargos, empregos ou funções públicas relevantes, assim como seus representantes, familiares e outras pessoas de seu relacionamento próximo, conforme definido pela ENCLA.

Parágrafo único. São considerados familiares os parentes, na linha direta, até o primeiro grau, o cônjuge, o companheiro, a companheira, o enteado e a enteada.”

Declarar se é ou não uma pessoa politicamente exposta é extremamente importante, já que através desses dados a CVM é capaz de monitorar mais de perto as operações e garantir que não haja fraudes ou lavagem de dinheiro (tá vendo, mais uma medida de segurança). Todas as perguntas feitas auxiliam a corretora e a CVM nesse sentido, além de ajudar a fazer o seu perfil de investidor para que você receba recomendações de investimentos adequados ao seu perfil.

O perfil de investidor é determinado através dos formulários preenchidos pelo investidor e também de um questionário que é respondido logo que a conta é aberta. Nesse questionário há perguntas sobre os tipos de investimento em que o investidor já aplica ou possui conhecimentos, quais os objetivos dele ao investir e o quanto ele julga entender do mercado financeiro. Todas as corretoras são obrigadas a manter esse perfil, para que possam direcionar aos clientes os produtos apropriados.

Os passos apresentados até aqui são comuns a todas as corretoras. Independente da corretora escolhida tudo dito acima será verdade, portanto é importante já escanear os documentos e ter tudo isso preparado para facilitar na hora da abertura de conta.

Agora que você já sabe o que precisa pra abrir a conta, vamos ver o que levar em consideração na hora de escolher uma corretora. Primeiro de tudo é importante escolher uma instituição idônea e que seja regulada pela Bovespa e CVM, pois só assim é garantido que todos aqueles protocolos de segurança que falamos lá em cima serão cumpridos. Para saber isso é só você conferir nessa lista aqui as corretoras credenciadas pela Bovespa, também é a boa dar uma olhada aqui para saber quais as corretoras que são habilitadas a operar no Tesouro Direto e quais as taxas cobradas por cada uma – pra entender melhor sobre essas taxas, dá uma olhada no post que o Matheus fez mês passado.

No site da BM&FBovespa já é possível filtrar as corretoras por produtos e serviços oferecidos, isso já é uma mão na roda e deixa o trabalho muito mais fácil. Depois que achar as corretoras que tem aquilo que você quer vem a parte mais chata do trabalho, mas também uma das mais importantes: A análise de custos.

Toda a corretora tem custos de operação, é assim que elas ganham dinheiro. Vou te dizer aqui os três custos que são mais importantes e podem minar seus rendimentos. A corretagem (taxa cobrada para fazer uma operação), a custódia (taxa cobrada para manter os ativos na conta) e a transferência de recursos (taxa para movimentar o dinheiro entre a corretora e o banco). Esses três custos variam de corretora para corretora e é importante saber o valor cobrado por eles em cada uma, é possível verificar esses custos no site das corretoras onde geralmente há uma área chamada “custos operacionais”. A corretora pode isentar os clientes de alguns desses custos e, muitas vezes, é comum a redução desses valores conforme aumenta a quantia que você movimenta na corretora. Mas olha essa tabelinha aqui que ela vai resumir tudo pra vocês.

* Algumas corretoras podem cobrar corretagem mínima por mês.

Depois de ver as corretoras que atendem aos produtos e serviços que você deseja e ver aquelas que tem o melhor custo ficamos com poucas opções. Para fazer nossa escolha, um bom método de desempate é o atendimento. Mande e-mails ou ligue para as corretoras para tirar dúvidas que possam surgir ou para fazer perguntas sobre os sistemas deles. Assim, você pode ter noção se a corretora vai prestar um bom atendimento a você ou não, na hora em que precisar. Algumas corretoras funcionam em outros estados e prestam atendimento aos clientes de modo virtual ou via telefone, mas existem agentes autônomos de investimento com escritórios que fazem a intermediação entre você e a corretora. Esses agentes vão dar aos seus clientes todo o suporte necessário para operar e podem, inclusive (com sua autorização), enviar à corretora suas ordens de compra e venda, além disso eles também oferecem produtos destinados ao seu perfil. Os sites das corretoras tem o endereço dos escritórios para que você possa achar um próximo a você. Para algumas pessoas que preferem o cara-a-cara, corretoras que oferecem esses escritórios são as melhores, pois a pessoa pode ter contato constante com o agente e ter um atendimento mais pessoal.

Além disso a abertura de conta também pode ser feita completamente online, neste caso, os documentos são enviados para a corretora no sistema deles ou via e-mail. Geralmente, no método online, em até dois dias a conta já está liberada para operar e ao abrir conta com um agente autonomo é possível começar a operar até mesmo no dia seguinte. Vale ressaltar aqui que esse tempo é necessário para que a corretora verifique e analise todos os documentos e informações enviadas pelo investidor.

Acho que basicamente é isso, vou fazer aqui um resumão do que você precisa fazer para te ajudar na hora que for abrir a corretora:

  • Separar os documentos (RG, CPF e comprovante de residência)
  • Verificar no site da BM&FBovespa e Tesouro Direto as corretoras que atendam à sua demanda
  • Analisar os custos de cada corretora para escolher a mais vantajosa para você
  • Verificar a qualidade do atendimento da corretora
  • Escolher se abrirá a conta online ou via agente autônomo
  • Iniciar o processo de abertura de conta (via site ou procurar um escritório)
  • Estudar e começar a investir

Se você fizer tudo isso, começar a operar e depois desistir porque não gostou da corretora ou achar outra melhor, não fique triste! Tem como você transferir a custódia dos seus ativos de uma corretora para outra e é um processo isento de custos. Esse tema será tópico de um post futuro, mas falei aqui apenas para que vocês saibam que é possível.

No mais é isso aí. Dúvidas? Dívidas? Deixe aí nos comentários. As dúvidas eu ajudo a sanar, já as dívidas são com o Victor, nosso colunista de Finanças Pessoais que fez esse post aqui sobre o cartão de crédito. Sinta-se a vontade para fazer também qualquer reclamação ou sugerir algum tópico.

A gente se vê! Bons investimentos!

Deixe um comentário